A LÍNGUA INGLESA EM UM CURSO TECNOLÓGICO EM COMÉRCIO EXTERIOR: UMA ANÁLISE DA SITUAÇÃO-ALVO

Keila Rocha Reis de Carvalho

Resumo


Resumo

Este estudo tem por objetivo verificar o uso da língua inglesa por alunos atuantes no mercado de trabalho na área de Comércio Exterior em seu campo de atuação profissional. A pesquisa está ancorada na Abordagem Instrumental (Hutchinson & Waters,1987; Dudley-Evans & St. John, 1998, entre outros). Para levantamento dos dados, foram utilizados questionários os quais foram aplicados a 44 alunos do curso mencionado acima que já atuam na área e um professor com muita experiência  na área de Comex. Os dados advindos da análise das respostas dos questionários possibilitaram o levantamento de possíveis perguntas feitas no processo seletivo de candidatos a vagas na área de Comex, bem como as atividades realizadas em inglês no cotidiano desses profissionais. A pesquisa pretende ter dado uma contribuição original para a área de Ensino-Aprendizagem de Língua Inglesa na perspectiva da Abordagem Línguas para fins Específicos  ao mostrar resultados que podem auxiliar no preparo de material voltado para a disciplina Língua Inglesa do curso de Comercio Exterior em estudo. 


Texto completo:

PDF

Referências


Referências Bibliográficas

CELANI, M. A. A. O ensino centrado no aluno em condições desfavoráveis de aprendizagem. Versão adaptada de comunicação apresentada no 14° Congresso da Associação Internacional dos Professores de Inglês como Língua Estrangeira (IATEFL). Atenas, Grécia. 1981.

COTTON, D; FALVEY D & KENT, S. Market Leader Elementary, 3rd edition extra. Harlow: Pearson Education Limited, 2016.

COTTON, D; FALVEY D & KENT, S. Market LeaderPre-Intermediate, 3rd edition extra. Harlow: Pearson Education Limited, 2016.

DUDLEY-EVANS, T. & ST JOHN, M.J. Developments in English for specific purposes: a multi-disciplinary approach. Cambridge: Cambridge University Press, 1998.

GOMES, L. F. Inglês Instrumental para Comércio Exterior: proposta para um curso universitário. Dissertação de Mestrado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem - PUC/SP, 1998.

HOLMES, J. What do we mean by ESP? Working Papers, nº 2. Projeto Nacional de Ensino de Inglês Instrumental em Universidades Brasileiras. PUCSP, 1981.

HUTCHINSON, T. & WATERS, A. English for specific purposes: a learning-centered approach. Cambridge: Cambridge University Press, 1987.

NUNAN, D. Research Methods in Language Learning. Cambridge: Cambridge University Press. 1992, pp. 143.

ROBINSON, P. ESP today: a practitioner´s guide. Hertfordshire: Prentice-Hall International, 1991.

SPÍNOLA, V. Let’s Trade in English. São Paulo: Aduaneiras, 2008.

STAKE, R. The art of case study research. New York: Sage Publications,1998.

STREVENS, P. ESP after twenty years: a re-appraisal. In: TICKOO, M.L. (org.): ESP: state of the art. Anthology Series 21. SEAMEO Regional Language Centre, 1988.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2526-4478 - Qualis "B3" (2017/2018)

______________________________________________________________________________