ORALIDADE: O ENSINO-APRENDIZAGEM DO GÊNERO DEBATE NO LIVRO DIDÁTICO DO 8º ANO

SILVÂNIA Maria da Silva AMORIM CRUZ, Aguida Pereira de SOUZA

Resumo


Tendo em vista que o gênero oral tende a ser tomado, no meio escolar, como um sistema lúdico e secundário de aprendizagem, já que a escrita e os estudos gramaticais são, geralmente, os elementos principais nas aulas de Língua Portuguesa, pensamos neste artigo que tem como objetivo verificar como é trabalhado o gênero oral debate, em um livro didático de Língua Portuguesa do 8ºano, à luz de Mendes (2005) e Rojo (2003). Como resultados, evidenciamos que apesar das várias propostas do gênero oral como objeto autônomo de ensino, o livro didático, objeto de estudo, ainda trabalha com uma ideia conservadora e, por vezes, como pretexto para o ensino de aspectos gramaticais.


Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL, Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais: Língua Portuguesa/ Secretaria de Ensino Fundamental. Brasília, MEC/SEF, 1997.

DOLZ, J. SCHNEUWLY, B. Gêneros e tipos de discurso: considerações psicológicas e ontogenéticas. In: Gêneros orais e escritos na escola. Trad. e Org. de Roxane Rojo e Glaís Sales Cordeiro. Campinas: Mercado de Letras, 2004. p.19-33.

MENDES, A. A linguagem oral nos livros didáticos de língua portuguesa do ensino fundamental - 3º e 4º ciclos: algumas reflexões. 2005. 191f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem) – Pontifícia Universidade Católica, São Paulo.

ROJO, R. Livro didático de língua portuguesa, letramento e cultura da escrita. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2526-4478 - Qualis "B3" (2017/2018)

______________________________________________________________________________