CONSIDERAÇÕES SOBRE A IMPORTÂNCIA DE PROMOVER O LETRAMENTO DIGITAL PARA FINS EDUCACIONAIS NO ENSINO MÉDIO

Bruno Coimbra Ciosaki, Anna Patricia Zakem China

Resumo


A tecnologia, que trouxe perceptíveis mudanças nas práticas sociais, passou a ter um papel importante na sociedade e novas demandas foram criadas em torno dela. Diante disso, uma nova categoria de pessoas emerge, as que não sabem lidar com o acesso à informação ou não dominam as ferramentas tecnológicas existentes em seu contexto social. Analfabeto digital é o termo comumente usado para referir-se a elas. Cria-se, portanto, uma necessidade por repensar as maneiras de ensinar nas escolas, de forma que, o aluno quando formado, seja capaz de lidar com as demandas tecnológicas que o cercam. A pesquisa, quantitativa, e realizada com coordenadores da disciplina de língua inglesa da rede de escolas públicas da região de Ribeirão Preto, busca analisar a questão da utilização da tecnologia como instrumento de ensino e de promoção do letramento digital, assim como da capacitação dos professores para utilizá-la.

Texto completo:

PDF

Referências


Affordability Report. A4AI. 2018. Disponível em: . Acesso em: 25 Out. 2018.

BRITO, J. P. de. 2016. A importância do letramento digital na educação básica. 23f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Letras) - Universidade Estadual da Paraíba, Guarabira.

Disponível em: . Acesso em: 17 Dez. 2018.

BUZATO, M. E. K. 2006. Letramentos digitais e formação de professores. São Paulo: Portal Educarede.

Disponível em:

. Acesso em: 21 Set. 2018.

DA SILVA FILHO, A. M. 2003. Os três pilares da inclusão digital. Revista Espaço Acadêmico, v. 3, n. 24, p. 5.

Disponível em:

. Acesso em: 19 Out. 2018.

Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Básica. 2013. Portal do MEC. Disponível em: . Acesso em: 10 Jan. 2019.

FRANCINI, W. S. 2002. A gestão do conhecimento: conectando estratégia e valor para a empresa. RAE-eletrônica, v. 1, n. 2, p. 1-16.

Disponível em: . Acesso em: 22 Out. 2018.

GIL, A. C. 2008. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas.

KHARPAL, A. 2017. Smartphone market worth $355 billion, with 6 billion devices in circulation by 2020: Report. Disponível em: . Acesso em: 16 Out. 2018.

LUCHESI, E. S. F. 2012. Gestão do conhecimento nas organizações. São Paulo: Cet, p. 17. Disponível em: Acesso em: 05 Out. 2018.

MARTINI, R. 2005 a. Inclusão digital & inclusão social. Inclusão social, v. 1, n. 1. Disponível em: . Acesso em:4 Ago. 2018.

MOORE, G E. 1998. Cramming more components onto integrated circuits. Proceedings of the IEEE, v. 86, n. 1, p. 82-85.

Disponível em:

Acesso em: 25 Set. 2018.

PASSO, R.; G.C. SANTOS. 2007. Armadilhas do letramento digital: as necessidades de competências para recuperação da informação. In: CONGRESSO DE LEITURA DO BRASIL, 16; SEMINÁRIO SOBRE "BIBLIOTECA", 10. Campinas, SP. Anais do... Campinas, SP: FE/ UNICAMP; ALB. ISBN 85-86091-76-1.

Disponível em: . Acesso em: 19 Dez. 2018.

SORJ, B; L. E. GUEDES. 2005 b. Exclusão digital: problemas conceituais, evidências empíricas e políticas públicas. Novos estud. - CEBRAP, São Paulo , n. 72, p. 101-117. Disponível em: . Acesso em: 19 Out. 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2526-4478 - Qualis "B3" (2017/2018)

______________________________________________________________________________