A SOCIOLINGUÍSTICA, LÍNGUA MATERNA E A ESCOLHA DE UMA METODOLOGIA DE ENSINO DE LÍNGUA INGLESA

Victor Carreao

Resumo


À luz da Sociolinguística (LABOV, 1972 [2008]) – ciência que estuda a mudança e variação linguística correlacionada a fatores sociais – diferentes metodologias de ensino de língua inglesa foram analisadas de forma a se observar se estes fatores podem, ou não, interferir no aprendizado dos alunos. Pode-se concluir que, após a realização de uma "análise de necessidades" dos alunos, é possível criar planos de aula que sejam pertinentes à sua realidade de mundo. Dessa maneira, o uso da língua materna dos alunos, em sala de aula, pode auxiliar o entendimento da língua-alvo (a língua inglesa) e da língua materna (a língua portuguesa). Esse processo é realizado por meio da comparação das semelhanças e diferenças entre as duas línguas, enriquecendo o aprendizado dos alunos. Esse processo também auxilia no combate ao preconceito linguístico existente nas duas línguas (a estrangeira e a materna), como é posto por Bagno (1999).


Texto completo:

PDF

Referências


ALKIM, T. M. Sociolinguística: Parte 1. In: MUSSALIM, F.; BENTES, A. C. (orgs). Introdução à linguística: domínios e fronteiras, v.1. 5 ed. São Paulo: Cortez, 2006. Cap. 1, p. 21-47.

AMY, L; WU, Y. ‘May I speak Cantonese?’ – Co-constructing a scientific proof in an EFL junior secondary science classroom. International Journal of Bilingual Education and Bilingualism, v. 18 n. 3, p. 289-305, 2015.

BAGNO, M. Preconceito linguístico: o que é, como se faz. São Paulo: Loyola, 1999.

BECHARA, E. Ensino da gramática: Opressão? Liberdade? São Paulo: Ática, 2006.

BOAS, C. H. S. V.; VIEIRA, D. S.; COSTA, I. M. F. Métodos e Abordagens: um breve histórico do ensino de Língua Estrangeira. Disponível em: < http://www.ensino.eb.br/artigos/artigo_edu_metodos.pdf >. Acesso em 04 de Fevereiro de 2015.

BRASIL. Parâmetros curriculares do ensino médio: Linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília: MEC, 2000.

_______. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: língua portuguesa/ Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BRIGHT, W. Introduction: dimensions of sociolinguistics. In: BRIGHT, W. (ed.) Sociolinguistics. Proceedings of the 1964 UCLA Conference. The Hague: Mouton, p. 11-15, 1966.

BUTZKAMM, W. We only learn language once. The role of the mother tongue in FL classrooms: death of a dogma. Language Learning Journal, n. 28, p. 29-39, 2003.

CAMACHO, R. G. A interferência de fatores sociais na aquisição da norma culta. Alfa, São Paulo, v. 26, n. 3, p. 13–24, abr. 1982.

COPLAND, F.; NEOKLEOUS, G. L1 to teach L2: complexities and contradictions. ELT Journal, v. 65, n. 3, 2011.

FRAGOZO, C. S. Cultura e sociolinguística no ensino e na aprendizagem de língua estrangeira. Fólio, Vitória da Conquista, v. 3, n. 1, p. 151-167, jun. 2011.

G1. Ensino médio público tem 8,6% de estudantes de famílias ricas, diz IBGE. G1 Educação, 2012. Disponível em: < http://g1.globo.com/educacao/noticia/2012/11/ensino-medio-publico-tem-86-de-estudantes-de-familias-ricas-diz-ibge.html >. Acesso em 09 de Novembro de 2014.

HALL, G.;COOK, G. Own-language use in language teaching and learning: state of the art. Language Teaching, v. 45, n. 3, p. 271-308, 2012.

KRULATZ, A; NEOKLEOUS, G; VIK HENNINGSENB, F. Towards an understanding of target language use in the EFL classroom: a report from Norway. International Journal for 21st Century Education, v. 3, Special Issue ‘Language Learning and Teaching’, p. 137-152, 2016.

LABOV, W. Sociolinguistic Patterns. Philadelphia: University of Pennsylvania Press, 1972. [Padrões Sociolinguísticos. Trad.: Marcos Bagno; Marta Scherre e Caroline Cardoso. São Paulo: Parábola, 2008.]

LEFFA, V. J. Metodologia do ensino de línguas. In: BOHN, H. I.; VANDRESEN, P. Tópicos em lingüística aplicada: O ensino de línguas estrangeiras. Florianópolis: Ed. da UFSC, 1988. p. 211-236.

PAGOTTO, E. G. Norma e condescendência: ciência e pureza. Línguas e instrumentos linguísticos n. 2, p. 49-68, 1998.

PEDREIRO, S. Ensino de línguas estrangeiras – métodos e seus princípios. 2013. Disponível em: < www.ipog.edu.br >. Acesso em 31 de Janeiro de 2013.

TARALLO, F. A pesquisa sociolinguística. São Paulo: Ática, 2001.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2526-4478

______________________________________________________________________________