COMPREENSÃO ORAL EM LÍNGUA INGLESA: PRÁTICAS (D)E ESTRATÉGIAS EM SALA DE AULA

Carolina de Medeiros Cecatto

Resumo


Esta pesquisa investiga como o impacto do uso de estratégias desta habilidade, em inglês, pode favorecer o desempenho de alunos do ensino fundamental II. Com o apoio das estratégias elencadas, objetivou-se auxiliá-los a ter mais motivação e buscar relevância nas tarefas de compreensão oral. Utiliza-se neste estudo a pesquisa-ação, a fim de gerar reflexões sobre as ações do professor e dos alunos de uma escola pública do município de São Paulo. A coleta de dados foi realizada por meio de questionários, sondagens e sequências de atividades com foco em estratégias de compreensão oral. A análise dos dados obtidos foi respaldada nas teorias de Scrivener (2011), Brown (2001) e Field (2009), valorizando o processo acima do resultado. As dificuldades experienciadas pelos alunos relacionavam-se ao processamento de estratégias de informações específicas e, durante as atividades, puderam entender mais sobre elas. Os resultados obtidos promovem reflexões sobre a relevância e aplicação das microtarefas.

Texto completo:

PDF

Referências


BROWN, H. D. 2001. Teaching by Principles: an Interactive Approach to language pedagogy. New York: Longman Inc.

CLARKE, M. e S. SILBERSTEIN. 1977. Toward a realization of psycholinguistic principles for the ESL reading class. Language Learning 27: 135-54.

FIELD, J. 2009. Listening in the Language Classroom. Cambridge: Cambridge University Press.

HARMER, J. 2007. How to Teach English. 6th imp. Harlow: Pearson Education Limited.

KENNY, T. e T. WADA. 2008. Listening Advantage, Student Book 1. Boston, Massachusetts: Thomson Heinle Cengage Learning.

_________; T. WADA e C. SHEILS. 2009. Listening Advantage, Teacher’s Guide 1. Boston, Massachusetts: Thomson Heinle Cengage Learning.

RUBIN, J. 1994. A review of second language listening comprehension research. Modern Language Journal 78, n. 2: 199-221.

SCRIVENER, J. 2011. Learning Teaching: The Essential Guide to English Language Teaching. 3rd edition. Oxford: Macmillan Education.

TRIPP, D. 2005. Pesquisa-ação: uma introdução metodológica. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3, p. 443-466, set./dez.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 2526-4478 - Qualis "B3" (2017/2020)

______________________________________________________________________________