LETRAMENTO DIGITAL: O KAHOOT! COMO FERRAMENTA DE TRABALHO NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM DE ESPANHOL NO ENSINO SUPERIOR TECNOLÓGICO

Maria Auxiliadora de Freitas Bastos Matias

Resumo


RESUMO: Este trabalho relata uma experiência didática à luz dos pressupostos do Conectivismo e das Metodologias Ativas no processo de ensino-aprendizagem de Espanhol. O objetivo é propor um olhar crítico sobre o ensino de Espanhol como Língua Estrangeira por meio da utilização do jogo interativo Kahoot!. A pesquisa baseou-se no ensino híbrido, oriundo das teorias de aprendizagem para a idade digital, como a personalização e tecnologia na educação. Trata-se de uma pesquisa constituída pela elaboração de jogos, em Espanhol, na plataforma interativa Kahoot!. A análise dos dados indica que, a partir da introdução do jogo, desenvolveu-se o letramento digital discente, bem como a autonomia em tecnologia na busca por caminhos organizacionais do conhecimento. Os resultados dessa pesquisa confirmaram que se trata de uma era de inteligência coletiva, na qual o aluno passa de simples espectador à protagonista em potencial.

PALAVRAS-CHAVE: Língua espanhola. Kahoot!. Metodologia ativa.


Texto completo:

PDF

Referências


BACICH, L.; MORAN J. (Orgs.). 2018. Metodologias Ativas para uma educação inovadora. Porto Alegre: Penso.

BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F. M. (Org.). 2015. Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso.

Collis, B., & Moonen, J. 2001. Flexible Learning in a Digital World: Experiences and

Expectations. London: Kogan Page.

COSTA, G. 2016. Kahoot!: Um gameshow em sala de aula. Disponível online em: www.giseldacosta.com/wordpress/kahoot-um-gameshow-em-sala-de-aula/. Acesso em: 23 mar. 2019.

CUNHA, M. B. 2001. Para saber mais: fontes de informação em ciência e tecnologia. Brasília: Briquet de Lemos/Livros.

GABRIEL, M. 2013. Educ@r: a Revolução Digital na Educação. São Paulo: Saraiva.

GUARESCHI, P. A.; BIZ, O. 2005. Mídia, Educação e Cidadania. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes.

PETIT, T.; LACERDA SANTOS, G. 2013. A aprendizagem não formal da língua estrangeira usando o smartphone: por quê voltamos a metodologias do século XIX?. In: 5º Simpósio Hipertexto e Tecnologias na Educação – 1º Colóquio Internacional de Educação com Tecnologias, Recife. Anais do 5º.

SIEMENS, G. 2008. Uma breve história da aprendizagem em rede. Disponível online em: http://pt.slideshare.net/augustodefranco/uma-breve-historia-da-aprendizagem-em-rede?qid=3a4d6029-e52c-4435-9411-9d813e15f500&v=&b=&from_search=1. Acesso em: 29 mar. 2019.

________. Uma Teoria de Aprendizagem para a Idade Digital. 2004. Disponível online em: http://usuarios.upf.br/~teixeira/livros/conectivismo[siemens].pdf. Acesso em: 30 mar. 2019.

YIN, R. K., 2001. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2. ed. Porto Alegre: Bookman.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2526-4478 - Qualis "B3" (2017/2018)

______________________________________________________________________________