DESENVOLVIMENTO DA HABILIDADE LEITORA NO ENSINO HÍBRIDO ATRAVÉS DAS METODOLOGIAS ATIVAS EM AULAS SÍNCRONAS DE LÍNGUA INGLESA

Juliana de Castro Moreira da Silva

Resumo


Esse artigo tem por objetivo apresentar uma proposta de aula de leitura em língua inglesa tendo como base o modelo híbrido, que possui as metodologias ativas como estratégias de ensino em aulas síncronas. As metodologias ativas, utilizadas para a proposta da aula foram a da aprendizagem baseada em problemas e a da aprendizagem baseada em pares para o desenvolvimento da habilidade leitora por meio das estratégias de leitura prediction e skimming, tendo como produto final a criação de um infográfico na plataforma Canva. Podemos concluir que a utilização das estratégias de leitura de língua inglesa, prediction e skimming, por meio das metodologias ativas, permitem que os alunos se tornem leitores autônomos e que desenvolvam o senso crítico para que possam atuar plenamente na sociedade globalizada em que estão inseridos.

PALAVRAS-CHAVE: Ensino híbrido; Metodologias ativas; Estratégias de leitura; Aulas síncronas.


Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, Karen. Guia Definitivo da educação 4.0. Disponível online em: https://www.plannetaeducacao.com.br/portal/guia-definitivo-da-educacao-40. Acesso em 22 março 2021.

ATWA, H. S.; AL RABIA, M. W. Self and Peer Assessment at Problem-Based Learning (PBL). Sessions at the Faculty of Medicine. In: King Abdulaziz University (FOM-KAU), KSA: Students Perception, v. 2, i. 3, 2014.

BACICH, Lilian; MORAN, José (Org.). Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Porto Alegre: Penso, 2018.

BARBOSA, Eduardo Fernandes; MOURA, Dácio Guimarães. Metodologias ativas de aprendizagem na Educação Profissional e Tecnológica. In: B. Tec. Senac, Rio de Janeiro, v. 39, n. 2, p. 48-67, maio/ago. 2013.

BERBEL, Neuzi Aparecida Navas. As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes. In: Semana: Ciências Sociais e Humanas, Londrina, v. 32, n. 1, p. 25-40, jan./jun. 2011.

KLEIMAN, A. Texto e leitor: aspectos cognitivos da leitura. Campinas: Pontes, 2002.

KWAN, C. Y. What is Problem-Based Learning (PBL)? It is magic, myth and mindset. In: Centre for Development of Teaching and Learning. Vol. 3 n. 3. August 2000.

LEFFA, H. V. J.; BOHN, V.; MARZARI, G. Quando jogar é aprender: o videogame na sala de aula. Revista Estudos da Linguagem, v. 20, n. 1, p. 209-230, 2012.

MARTINEZ, Pierre. Didática de Línguas Estrangeiras. São Paulo: Parábola, 2009.

MICHAELSEN, L. K.; SWEET, M. The Essential Elements of TeamBased Learning. In: New Directions for Teaching and Learning, Special Issue: Team-Based Learning: Small Group Learning's Next Big Step.Volume 2008, Issue 116, pages 7–27, Winter 2008.

MORAN, José . Educação Híbrida: Um conceito-chave para a educação, hoje. In: BACICH, Lilian; NETO, Adolfo Tanzi; TREVISANI, Fernando de Melo. Ensino Híbrido: Personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, 2015.

______, Mudando a educação com metodologias ativas. In: SOUZA, C. A.; MORALES, O. E. T. (Org.). Convergências midiáticas, educação e cidadania: aproximações jovens, v. 2. Ponta Grossa: Foca Foto-PROEX/UEPG, 2015. (Coleção Mídias Contemporâneas). Disponível em: . Acesso em: 29 mai. 2019.

MUNRO, C. R. Mentoring needs and expectations of generation-Y. Human resources practitioners: preparing the next wave of strategic business partners. Journal of Management Research, v. 1, n. 2, 2009.

PAIVA, Vera Lúcia Menezes de Oliveira e. O ensino da língua estrangeira e a questão da autonomia. In: LIMA, Diógenes Cândido de. (Org). Ensino Aprendizagem de Língua Inglesa: conversa com especialistas. São Paulo: Parábola, p. 31-8, 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2526-4478 - Qualis "B3" (2017/2020)

______________________________________________________________________________