BARTLEBY, O ESCRIVÃO: LINGUAGEM E ETHOS NA CONSTRUÇÃO DE UM IMPASSE

Mônica Éboli De Nigris, Rosana Bueno Novais

Resumo


: Este artigo tem por objetivo fazer uma reflexão sobre o conto Bartleby, o escrivão: uma história de Wall Street , de Herman Melville e observar dois aspectos de sua construção. O primeiro deles é a utilização da expressão de polidez “I would prefer not to” no contexto em que a personagem principal, Bartleby,  utiliza-a. Esta será vista como uma fórmula usualmente empregada em ambientes corporativos que tem seu sentido original alterado em seu contexto de produção; em segundo, o artigo procura verificar como se apresenta o ethos da personagem denominada  Advogado,  um homem metódico que vê sua rotina alterada pela chegada de Bartleby. Para que estes dois ângulos da narrativa sejam contemplados, utilizaremos a Análise do Discurso e nos apoiaremos no embasamento teórico de Maingueneau para o desenvolvimento de nossas ponderações.

   

Texto completo:

PDF

Referências


MAINGUENEAU, Dominique. Elementos de linguística para o texto literário. [tradução: Maria Augusta Bastos de Mattos] São Paulo: Martins Fontes, 2001.

__________________________. Termos-chave da Análise do Discurso. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2000.

MAINGUENEAU, D. Novas tendências da análise do discurso. 3. ed. Campinas: Pontes/ UNICAMP, 1997.

_______________. Novas tendências em Análise do Discurso. Campinas:

Fontes & Editora da UNICAMP, 1995.

MELVILLE, Herman. Bartleby, o escrivão. Uma história de Wall Street/ HermanMelville; tradução de Cássia Zanon – Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

MELVILLE, Herman. Bartleby, The Scrivener: A Story of Wall-Street. The Project Gutenberg EBook. In: www.gutenberg.org/cache/epub/11231/pg11231-images.html. Acesso em: 17/04/2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2526-4478

______________________________________________________________________________